Rotinas domésticas, ou por que é que a casa não se arruma sozinha…

cleaning-268134_1920

E depois de teres destralhado com toda a vontade, e à tua volta agora só encontrares o que é absolutamente essencial, temos de falar sobre um assunto menos agradável (pelo menos para mim): a lida da casa.

Como já deve ter dado para perceber, limpar não é, de todo, a minha atividade preferida. E tenho de dizer a verdade: sou a pior pessoa para falar de limpeza.

Desde a adolescência que tenho esta relação asco-ódio pelo pano do pó: os sábados eram os dias de “mudar o pó de sítio”, como eu costumava dizer. E, para além de ser uma atividade pela qual não nutro qualquer ponta de estima, nos últimos tempos é também algo que caiu para lá do terceiro plano em minha casa: no meio de todas as coisas que tenho para fazer, e de duas crianças de tenra idade, limpar o pó e aspirar, principalmente, são coisas que acabam por ficar sempre para depois do dia de São Nunca.

Por isso, prefiro falar aqui de rotinas domésticas.

Quando o tempo não abunda, há que estabelecer prioridades: haver comida para comer e roupa para vestir ultrapassam largamente a necessidade de ter o chão e os móveis impecavelmente limpos.

Consigo, vagamente, recordar-me do tempo em que ainda não tinha filhos e dedicava os fins de semana, ou pelos menos parte deles, a limpar a minha casa, entre panos, aspirador, esfregona e muita paciência, procurando que ficasse tudo impecável.

Só que os tempos são outros e a palavra de ordem tem de ser otimização.

O tempo não é elástico (e eu, já agora, não sou a super mulher), portanto, se quero ter a casa minimamente em ordem (tarefa quase hercúlea, é certo), o segredo é fazer um pouco todos os dias, porque ter mais do que 20 minutos seguidos para dedicar a qualquer tarefa é virtualmente impossível: o bebé chora, a criança tem fome, o telefone toca, a comida está quase a queimar no tacho… Há que ter muito jogo de cintura, realmente.

No meu e-book 50 dicas para simplificar a tua vida, menciono várias das técnicas que uso para conseguir manter a casa sob algum controlo.

Agora, pretendo alargar-me um pouco sobre as rotinas caseiras que poderás criar para ter tudo minimamente em ordem.

Vamos lá! Irei falar sobre:

  1. Limpeza de superfícies: móveis e chão, essencialmente.
  2. A cozinha e a casa de banho: os pesadelos de qualquer dona de casa!
  3. A rotina da roupa: separar, lavar, estender, apanhar, dobrar, passar… Mas isto alguma vez tem fim?!
  4. Estabelecer dias para cada tarefa.
  5. Fazer menos.
  6. Partilhar responsabilidades.
  7. “Feito é melhor que perfeito!”: alguém disse e eu não posso concordar mais.

Limpeza de superfícies

Anda pela rua da amargura nos últimos tempos lá em casa. Não me orgulho disso e é algo que preciso de melhorar, só que, entre trabalho, filhos e todas as outras coisas que tenho de encaixar nas minhas 24 horas, ter disposição para limpar o pó e aspirar é muito, muito difícil.

Creio que neste campo o ideal é limpar um pouco todos os dias: pegar no pano/vassoura/esfregona e limpar uma pequena área dentro do tempo disponível. No dia seguinte, uma outra área e assim sucessivamente. Quando já se tiver uma noção do quanto se consegue fazer num determinado espaço de tempo, estipular um dia para limpar cada área e repetir todas as semanas, ou de 15 em 15 dias. Ter sempre à mão tudo o que se precisa para limpar bem cada área é também uma grande ajuda.

Status It’s (not) so simple: a implementar no curto prazo.

A cozinha

Loiça, comida, lixo, chão, bancada, frigorífico, forno… Respira fundo!

É uma das áreas mais complicadas: passamos tanto tempo aqui e é uma divisão que se suja com uma facilidade tremenda. O segredo é não deixar as tarefas acumularem-se, sobretudo ao nível da loiça e da sujidade das superfícies.

Sendo mais fácil dizer do que fazer, o ideal seria sempre lavar toda a loiça depois de a usar e limpar algo logo que se suja. Não sendo viável, o melhor é dedicar todos os dias um pouquinho à cozinha.

Status It’s (not) so simple: devagar, mas muito devagar mesmo, se vai mais ou menos longe.

A casa de banho 

Chão, banheira, lavatório, sanita, bidé, se o tiveres, e, quando há mais do que um WC, tudo se multiplica. E se eu acho que a cozinha se suja rápido, a casa de banho é melhor nem falar.

O que fizemos lá em casa, para simplificar, foi estipular que só usávamos uma casa de banho, apesar de termos duas. O segundo WC acaba por servir apenas como vestiário/local de arrumação: é o sítio onde os adultos lá de casa se vestem e despem e onde penduramos os pijamas e as roupas de andar por casa.

Ainda assim, manter a casa-de-banho em ordem, é um assunto sério. A regra do limpar quando se suja é de ouro aqui também.

No outro dia fiz uma experiência que correu muito bem: enchi a banheira, pus os miúdos lá dentro (eles adoram tomar banho juntos) e aproveitei enquanto eles brincavam para limpar as loiças sanitárias. Com a preocupação de não os deixar tempo demais dentro de água, limpei tudo num instante.

Status It’s (not) so simple: idem, idem, aspas, aspas

As rotinas da roupa

Este é um daqueles temas em que, se perdes o controlo, por pouco que seja, tudo o resto parece que descarrila também.

Tendo em consideração que a quantidade de roupa lá em casa é controlada, a lavagem da mesma é muito importante. Quando se tem de estender a roupa na rua e o inverno não está propício à enxuga, fica tudo mais difícil.

Atenção, se pensas que ter mais roupa pode te aliviar nesta tarefa, pensa de novo, pois mais roupa = mais confusão!

Assim, para mim, o segredo é determinar em que dias vou lavar que roupa. Como tenho tarifa de eletricidade bi-horária e a minha máquina de lavar (abençoada!) é programável, faço por aproveitar os períodos de vazio. Programo a máquina para lavar de madrugada e estendo a roupa na manhã seguinte.

O meu esquema habitual é:

Quarta-feira à noite: programo a lavagem de alguma roupa de vestir dos miúdos. Evito a roupa interior, pois são peças pequeninas e que dão muito trabalho a estender, sobretudo quando estou cheia de pressa de manhã. Se a máquina não ficar muito cheia, posso juntar algumas peças da roupa de vestir dos adultos a esta carga.

Sexta-feira à noite: programo uma máquina de roupa de vestir dos adultos.

Sábado de manhã: se o tempo estiver propício, lavo roupa dos miúdos. Se estiver chuvoso, e a roupa dos adultos ainda não tiver enxugado, protelo um pouco a lavagem da roupa da criançada.

Domingo de manhã: aproveito esta altura para lavar lençóis quando as camas são feitas de lavado.

Domingo à noite: é uma panca minha, mas gosto de começar a semana com toalhas e panos lavados, por isso costumo programar uma carga de roupa suja deste tipo. E como são coisas fáceis de estender e de apanhar da corda, não chateia muito fazê-lo nesta altura da semana.

Ainda sobre a roupa, o melhor será, depois de seca, tratar logo dela: dobrar/passar e arrumar. Eu dobro a maior parte da nossa roupa e só entra na categoria de passar a ferro o que tem mesmo de ser. E, se eu souber que uma determinada peça vai ser usada dali a muito pouco tempo, nem a dobro. Cúmulo da preguiça? Pensa de novo: cúmulo da praticidade!

Status It’s (not) so simple: implementado e resulta mesmo. E há que manter “rédea curta” neste assunto, pois, se o sistema tiver de ser alterado por algum motivo (passar o fim de semana fora, ou tempo não favorável), tudo fica caótico e nós NÃO queremos isso!

Estabelecer dias para cada tarefa

Quando vi que estipular dias para a lavagem da roupa facilitava as lides domésticas, estendi o conceito a todas as áreas possíveis.

Para quem tem pouco tempo disponível, o melhor é sempre decidir qual a tarefa que vai fazer em determinado dia e, claro está, cumprir o plano, ou não há organização doméstica que resista.

Status It’s (not) so simple: há áreas da lida que posso otimizar, como a confecção de refeições e a limpeza de superfícies. Sinto que há coisas que só “irão ao sítio” com a passagem do tempo e com o facto de os miúdos ficarem mais crescidos e menos dependentes. É um “work in progress”.

Fazer menos

Alto! Não estou a tentar dizer, sobretudo depois de tudo o que escrevi antes, que deves deixar a lida da casa passar em branco. Nada disso.

Mas, na linha da simplificação que tanto advogo, se há tarefas que tens e que não fazem sentido, não te satisfazem, não te trazem nada de positivo, deixa cair, deixa ir. Talvez seja um exemplo estranho, mas, para mim, seria algo como dar todas as plantas que pudesse ter lá por casa a alguém que cuidasse melhor delas do que eu, porque isto é algo que não me dá qualquer prazer. Ou, um exemplo um pouco mais óbvio, aquela peça decorativa que tens na mesa da sala que te dá tanto trabalho a limpar, e se é algo de que gostas muito, por que não arrumá-la num sítio onde não apanhe tanto pó?

Lembra-te: a tua casa é para viver. E estar permanentemente a cuidar dela não é viver!

Status It’s (not) so simple: isto é algo que está sempre no meu pensamento, porque é algo tão dinâmico como o dia a dia de cada um.

Partilhar responsabilidades

Esta é demasiado óbvia, mas, ainda assim, é algo que importa não esquecer: todos têm de ajudar. Instiga a arrumação, a ordem, o zelo. Não vale a pena dar sermões. Aos poucos, vai instituindo hábitos de organização, sem grandes dramas, no entanto. Trava apenas as batalhas que valerem a pena e sê feliz!

Status It’s (not) so simple: implementado! O marido ajuda com a loiça e a roupa e as crianças sabem que devem manter os brinquedos arrumados. Às vezes as coisas saem um pouco dos eixos, mas, com calma, tudo se ajeita.

“Feito é melhor que perfeito!”

Quando me tornei dona de casa, houve um momento em que pensei para mim própria que teria sempre a casa impecável: tudo limpo e arrumado e nem uma ponta de pó. Que utopia! Durante o primeiro ano de casada bem que fiz todos os possíveis, mas o pó levou sempre a melhor… E isso levava a frustrações e tristezas que, sei agora, não fazem qualquer sentido.

Pois agora o lema é mesmo este. Desde que todos lá em casa estejam com um sorriso no rosto, o pó pode levar a sua avante, mas não me irá derrotar!

Espero ter-te ajudado a perceber como podes melhorar as tuas rotinas caseiras e “domar” a tua casa.

Gostava muito de ler as tuas dicas de limpeza e arrumação.

No próximo post falarei sobre as compras para o lar e terei à tua espera uma lista de compras que te ajudará a comprar mais eficientemente. Até breve!

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *