Leo Babauta é o meu guru da produtividade: vem conhecer 2 dos seus livros!

maple-leaf-638022_1280Creio que a primeira vez que ouvi falar de Leo Babauta foi através de um post da Rita Domingues. O tema era gestão de tempo, a referência intrigou-me e fui pesquisar. Descobri o seu blogue, o Zenhabits, e fiquei fã!

Os seus textos são sempre altamente sugestivos, com um toque de humanidade deveras impressionante. Ele tem uma capacidade incrível de apelar aos nossos sentimentos, aos nossos medos, às nossas fragilidades, sempre de uma forma positiva e inspiradora. Recomendo vivamente!

Em zenhabits.net/books, podemos encontrar os livros por ele escritos.

Hoje irei falar-te de dois deles, que mudaram a minha vida e aos quais recorro com frequência, sobretudo quando preciso de inspiração, e de força, para me organizar e seguir em frente nesta “luta” da produtividade.

1 – Focus

2 – Zen To Done 

Focus é um livro sobre como lutar contra as distrações do mundo moderno, encontrar a simplicidade, ser capaz de criar e de encontrar a paz de que cada um de nós precisa.

Leo diz-nos que vivemos já não tanto numa Era da Informação, mas sim numa Era da Distração. As distrações tornam-se uma adição pois dão-nos feedback positivo instantâneo: ir ao Facebook e ver que alguém gostou de uma publicação nossa, por exemplo, dá-nos a sensação de que somos importantes, ou inteligentes, e isso deixa-nos viciados nesse sentimento e na necessidade de nos sentirmos sobrelevados com o que achamos que os outros pensam de nós..

Só que, como que no reverso da medalha, tanta distração prejudica a nossa criatividade e sentimo-nos, cada vez mais, incapazes de criar, de fazer trabalho relevante e de atingir os nossos objetivos.

Defensor absoluto da simplificação, Leo explica que, para sermos capazes de criar, e de criar com intenção, devemos concentrar-nos no nosso trabalho, reduzindo as distrações externas (notificações de email, por exemplo, ou a tralha à nossa volta).

Em Focus, Leo incentiva à desconexão, a que se criem rituais de calma e de introspecção e a que se limite o consumo de informação, escolhendo criteriosamente o que se lê e o que se vê. Ensina-nos também como podemos lidar com o medo, sobretudo com o medo que nos impede de nos focarmos devidamente.

O livro tem ainda uma secção dedicada aos pais que sentem que precisam de encontrar mais foco e uma outra aos chefes/gestores que acham que o foco é o caminho para tornar as suas organizações mais positivas e mais produtivas.

O livro tem 27 capítulos. Podes escolher entre ler a versão gratuita, ou a versão integral, paga, que tem mais algumas seções. A saber:

  1. Vídeos que ensinam a focar apenas numa tarefa, a desconectar sem medos, a comer e a exercitar-se forma saudável
  2. Entrevistas com os especialistas Seth Godin e David Allen.
  3. Capítulos adicionais sobre aumentar a criatividade através de um foco maior, alcançar a quietude e a reflexão e encetar mudanças a um nível mais profundo.
  4. Capítulos adicionais de autores convidados.
  5. Ficheiros guia sobre como criar novos hábitos, destralhar, ou lidar com o email de forma eficaz.

O segundo livro que te trago hoje é bastante mais prático, mas igualmente revolucionário.

Zen To Done é uma coletânea de 10 hábitos que te ajudarão a fazer o que tens para fazer. Leo criou este sistema, ZTD, que desafia o GTD (Getting Things Done) de David Allen.

Ao implementar cada um destes 10 hábitos, um de cada vez, para melhores resultados, estaremos no caminho de uma gestão de tarefas simples, eficaz e gratificante.

Podemos, inclusivamente, optar por um ZTD Minimalista: tornarmo-nos exponencialmente produtivos em apenas 4 hábitos:

  1. Recolher: um bloco, uma caneta. Anotar todas as tarefas, ideias, projetos, ou outra informação relevante.
  2. Processar: lidar com todos os itens que dão entrada, sejam mails, papelada, informação, etc.. Tomar uma decisão rápida sobre tudo o que nos chega.
  3. Planear: definir as tarefas mais importantes de cada semana e fazê-las logo no início de cada dia, para garantir que são completadas.
  4. Fazer: eliminando as distrações, fazer uma tarefa de cada vez e sem “multitascar“!

Estes livros foram reveladores para mim. Pude finalmente compreender o que me fazia fugir de realizar determinadas tarefas e, sobretudo, porque me sentia sempre tão assoberbada e sem tempo para o que quer que fosse. Que pena não ter descoberto o trabalho de Leo mais cedo!

Deixo-te o link para o artigo dele de que mais gostei (e eu gosto de todos…), que mais ficou comigo e que mais luto para por em prática. Espero que gostes!

Já conhecias o trabalho do Leo? Se sim, o que já tinhas conseguido por em prática? Se não, o que achaste?

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *