Dicas de gestão financeira

Gerir um orçamento, ou seja, garantir que o dinheiro disponível é suficiente para fazer face a todas as despesas previstas, é um grande desafio. A tua paz de espírito e o sentimento de que tudo irá correr bem no teu futuro imediato dependem disso.

Lidar com dinheiro é sempre um assunto delicado. Quando se trata do nosso próprio dinheiro, e quando disso depende a nossa sobrevivência, a parada sobe consideravelmente.

O Excel que disponibilizei no post introdutório à temática deste mês é uma ótima forma de controlar as finanças domésticas. Aí são registados os valores do rendimento familiar, as despesas previstas e também as reais. Depois de introduzidos todos os valores, terás uma excelente perspectiva de como está a saúde das tuas finanças: se há dinheiro disponível para poupar, por exemplo, ou se terás de analisar os teus gastos e fazer cortes.

Se o teu saldo é, à partida, positivo, prevê-se que o mês vá ser tranquilo, muito embora os imprevistos aconteçam a todos e as despesas inesperadas podem tornar-se uma realidade, num ou noutro momento. O primeiro mês deve ser encarado com precauções. É uma magnífica oportunidade para questionar todas as despesas, analisando até que ponto estas fazem sentido, e identificar onde estão potenciais focos de poupança.

Se, pelo contrário, começas o teu orçamento com saldo negativo é, efetivamente, um alerta que não podes ignorar, mas nem tudo está perdido. Encara este exercício como a tua oportunidade para modificar e melhorar os teus hábitos financeiros e para acabar, de vez, com a tensão que este tema implica para ti.

Em que áreas podes cortar nos custos? Que hábitos podes modificar para levar a menos gastos? Está na altura de renegociar o prazo do teu empréstimo bancário, ou de procurar uma casa com uma renda mais baixa? Tens serviços subscritos que podes cancelar? Faz sentido mudar para uma tarifa bi-horária de eletricidade? Consegues diminuir o número de refeições que tomas fora de casa?

No meu e-book 50 Dicas para simplificar a tua vida encontras várias outras sugestões úteis para melhorar a tua vida financeira.

Por outro lado, podes pensar em formas de aumentar o teu rendimento, desde que isso não implique trabalhares 16 horas por dia, ou algo parecido: que tal vender no OLX coisas que tens em casa e de que já não precisas? Ou, no teu tempo livre, fazer alguns trabalhos relacionados com os teus gostos pessoais: traduções, webdesign, ou baby-sitting, quem sabe?

Claro que, se a tua situação financeira estiver realmente muito difícil, talvez não te reste outra alternativa a não ser arranjar um segundo emprego. Pensa, porém, que, agora que tens as tuas finanças completamente debaixo de olho, isto será algo temporário e em nome da estabilidade monetária que bem mereces.

Por vezes, quando sabemos que temos mais despesas do que rendimento, tentamos não pensar no assunto, esperando, talvez, que este se vá embora por si só. No entanto, bem sabes, isso não acontece. Esta é, sem sombra de dúvida, a tua oportunidade para domares as tuas finanças e tomares decisões que, é certo, não serão fáceis, mas que irão, com toda a certeza, modificar a tua vida para sempre. Ignorar as faturas que recebes, não pagar o saldo do cartão de crédito atempadamente, pedir dinheiro emprestado… Tudo isto são situações que estão a prejudicar-te a ti e ao teu dinheiro.

Sentir que dominas as rédeas das tuas finanças vai fazer toda a diferença nas forma como geres o teu dia-a-dia, garanto-te. Se ainda não começaste, começa já!

Conta-me os teus desafios neste campo. E deixa-me também as tuas dicas e sugestões.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *