Desenvolvimento pessoal: o que gostavas de aprender?

bench-1289528_640

“O conhecimento amplia a vida. Conhecer é viver uma realidade que a ignorância impede desfrutar.”

Carlos Bernardo González Pecotche

Sentes-te a estagnar? Sentes que há tanto no mundo para aprender e conhecer e parece-te que estás a ficar para trás, sem nada de novo para te estimular?

Afinal, o teu quotidiano está tão cheio de afazeres que se torna impossível arranjar tempo para estar em dia com o que te rodeia. Tirando as fofocas sobre as celebridades do mundo atual e as desgraças nas notícias, não sobra muito tempo para conhecer novas “coisas”, pois não?

Hum… Pois…

Achas que estás a ficar para trás no teu trabalho por falta de qualificações, de conhecimentos? Tens a sensação de que estás a perder capacidades?

Como vão as tuas leituras? Qual foi o último livro verdadeiramente interessante que leste?

É, chegou a hora de apostar em desenvolvimento pessoal!

Aprender uma nova língua? Fazer um curso online para expandir os horizontes? Voltar a estudar para aumentar a tua escolaridade, refrescar competências, ou para alargar os teus conhecimentos a outra área de estudos? Por que não?

No meu caso, que estudei uma coisa e trabalho noutra muito díspar, também me sinto às vezes estagnada e com falta de conhecimentos em certas áreas. Por vezes, penso em voltar à universidade para estudar algo diferente, com maior aplicabilidade no meu dia-a-dia. Contudo, a ideia de voltar a aulas, apontamentos, sebentas e exames deixa-me renitente…

O que tenho, no entanto, procurado fazer de há uns anos a esta parte é ler bem mais, sobretudo livros que não sejam simplesmente do género da ficção.

Não me interpretes mal: gosto tanto de um bom livro de ficção como outra pessoa qualquer, mas tenho feito um esforço consciente para ler também livros com uma componente de desenvolvimento pessoal, como foi o caso dos livros O Poder do Hábito, Silêncio, entre vários outros.

Paralelamente, e desde há cerca de 9 meses para cá, tenho vindo a exorcizar um “fantasma” que pairava sobre a minha cabeça: a língua Espanhola! Sei que isto parece muito estranho vindo de alguém que estudou línguas, e é falante nativo de Português, porém, tentar falar Espanhol sempre deixou o meu cérebro e a minha língua feitos num 8: nunca as palavras me saíam bem, o vocabulário era difícil de apreender e, na hora H, a língua entaramelava-se por completo!

Depois de ler uma boa crítica ao Duolingo, uma plataforma online de ensino de línguas, decidi experimentar e estou absolutamente fã!

O princípio é de que todos devem ter uma oportunidade para aprender novas línguas, sobretudo quando o seu objetivo é ter acesso a oportunidades melhores. Então, o Duolingo tornou o “ensino de idiomas gratuito: sem taxas ocultas, sem conteúdo premium, simplesmente gratuito.” Interessante, não é?

Atualmente, os falantes nativos de Português podem aprender Inglês, Espanhol, Francês e Alemão. E a próxima língua a ficar disponível será o Italiano. Esta é uma plataforma que funciona em regime colaborativo, havendo pessoas que se voluntariam para ajudar a torná-la cada vez melhor. Tu também podes colaborar, se quiseres. Vê como na página deles.

Só uma nota: são muitos os falantes de Português do Brasil que colaboram com a plataforma, por isso, ao usar a aplicação, notarás que a tendência será para um Português mais ao estilo das Terras de Vera Cruz. Não é nada que não se consiga superar, pois, a meu ver, a aplicação é mesmo muito boa.

Portanto, se o teu sonho é aprender/melhorar uma língua estrangeira, experimenta! Faz o teste inicial, afere o teu nível e continua. Exercício a exercício, vais avançando os teus conhecimentos, subindo de nível e, claro está, divertindo-te a aprender algo novo.

No início da minha aprendizagem, usei o Duolingo através do browser, mas, agora, uso mais a app no telemóvel (disponível para Android, iOS e Windows). De manhã, enquanto no autocarro, e ligada ao WiFi da transportadora, lá vou eu completando os exercícios que planeei para esse dia. Já estou no nível 17. Que orgulho!

No entanto, se achas que no campo das línguas está tudo ok e o que gostavas era de ganhar conhecimentos noutras áreas, dá uma olhadela ao Coursera.

O que é? Trata-se de uma plataforma de ensino que realiza parcerias com as melhores universidades e instituições de ensino em todo o mundo para oferecer cursos online abertos a todos, havendo, inclusivamente, um programa de auxílio financeiro disponível.

No Coursera, o princípio é de que poderás aprender ao teu próprio ritmo, assistindo a vídeos curtos, realizando testes interativos, interagindo com formadores e outros formandos em tempo real.

Ainda não tive oportunidade de experimentar, mas adoro o conceito, por isso tinha de fazer menção. Está nos meus planos fazer um dos seus cursos a médio prazo. Se entretanto experimentares, conta-me como foi!

E decidi fechar este tema falando sobre algo que pode já ter passado pela tua mente, embora tenhas reprimido o pensamento por achares que se calhar não faz sentido, ou é ambicioso demais: como (re)aceder ao ensino superior?

Estou a partir do pressuposto de que quem me lê já há muito terminou o ensino secundário, ou iniciou um curso superior mas não teve oportunidade de o concluir, ou, inclusivamente, já teve a oportunidade de obter um diploma de ensino superior. Nesse caso, entrar de novo numa faculdade, ou instituição equivalente, não segue os trâmites normais para quem está a concluir 12.º ano.

Quem tem o ensino secundário concluído pode candidatar-se ao abrigo do Regime para Maiores de 23 anos. Visita o site da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) para mais informações. Podes também consultar o site da tua instituição de ensino de eleição (se tiveres uma em vista).

Caso estejas a pensar fazer uma nova licenciatura, seguir para um Mestrado, ou avançar para um Doutoramento, aconselho que te dirijas diretamente à instituição que pensas frequentar para obter todos os dados de que necessitas para tomar uma decisão.

Sim, esta é a altura certa para ires em frente, pois, como disse Benjamin Franklin, Investir em conhecimento rende sempre os melhores juros.

Boas aprendizagens!

Então, qual a próxima coisa que vais aprender? Conta-me os teus planos. E, se tiveres outras sugestões de como podemos aprender mais online, não te esqueças de partilhar. Obrigada.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *