Desafio de organização pessoal: Um resumo

My desk

E assim chegamos ao fim de mais um desafio, desta feita o de organização pessoal.

Parabéns a ti por mais um mês e obrigada pela companhia.

Manter todos os aspetos da nossa vida balanceados é complicado. Há sempre tanto em jogo. Somos como um malabarista, com duas bolas na mãos e outras tantas no ar, rodando-as com a maior velocidade permitida e, se possível, sem as deixar cair. E se uma tomba, lá teremos de correr atrás dela para a apanhar e recomeçar o malabarismo. Esta é a única forma: tentar, tentar e tentar. Constantemente.

O nosso objetivo último, e o motivo pelo qual vamos “bamboleando” em contínuo por esta vida fora, é assegurar o essencial, certificando-nos, paralelamente, de que os nossos níveis de satisfação, e os de quem mais importa para nós, se conservam.

E se os níveis de satisfação descerem?

Teremos de rever o que está errado: averiguar o que podemos deixar de fazer, porque, na maior parte das vezes, o nosso descontentamento advém de termos tarefas a mais, ou tarefas que parecem não trazer qualquer benefício.

Uma vez mais, e acho que nunca é demais frisar este aspeto, olha para todas as tuas responsabilidades, os teus afazeres, elenca-os, e, de forma fria e frontal, retira tudo o que já não faz sentido, tudo o que podes delegar, tudo o que deixou de te trazer satisfação, ou te provoca sentimentos negativos.

Eu, para já, encontro-me satisfeita com a minha lista de tarefas, sem sentir necessidade de retirar grande coisa. Não que a lista seja exatamente pequena. Porém, o que lá está tem mesmo de ser feito, tem um propósito e contribui para que eu e a minha família estejamos bem.

Para mim, Março foi um mês calmo, desconectado q.b., em que procurei, essencialmente, organizar a casa. Aproveitei para destralhar um pouco mais cada divisão, com o intuito de ter menos para manter e limpar, menos a encher o ambiente.

Enviei alguma roupa para a reciclagem, dei alguma roupa dos miúdos, destralhei as gavetas da secretária e encaminhei algumas coisas para o ponto eletrão. Pus mais artigos à venda no OLX: dá, doa, vende ou recicla, o grande mantra It’s (not) so simple…  

Diminuí o número de itens que tenho na minha secretária, modifiquei a sua disposição e, dessa forma, consegui aumentar a minha produtividade. Sendo eu uma pessoa muito visual, qualquer objeto a mais me distrai, o meu olhar divaga com facilidade. Por isso, quanto menos tiver no meu ângulo de visão, mais concentrada consigo ficar. E, assim, escrever para o blogue ficou mais simples.

Agora é o quarto das crianças que está na minha mira: há lá alguma tralha a dificultar a limpeza do pó. A tralha terá de ir! 

E, devagar, a casa vai ganhando outra ordem, outra estrutura, o que acaba por facilitar os nossos dias. Grande vitória!

Um dos benefícios de manter este blogue, apercebi-me nas últimas semanas, é que me tem tornado mais focada, muito mais “accountable” (perdoa, mas não encontro uma tradução que me agrade para esta palavra…). E tem-me ajudado a manter as minhas prioridades mais alinhadas com o que quero e com o que preciso para estar de bem com a vida e comigo própria. Isto deixa-me, como é óbvio, muito contente. E dá-me a força que preciso para continuar. Isso e as mensagens de apoio e carinho que tenho recebido da parte de quem me lê. Mil vezes grata!

Por favor, continua aí desse lado!

Vamos, entretanto, dar as boas-vindas a mais um mês e, aqui no blogue, a mais um desafio: iremos falar sobre produtividade, esse grande “bicho” que todos os que acompanham este mundo dito “moderno” idolatram, mas que ninguém sabe muito bem como tratar. Falaremos sobre métodos de gestão de tarefas, ferramentas úteis, e terei pequenas surpresas. Espero por ti!

Agora conta-me: que aspetos da tua organização pessoal conseguiste otimizar? Como está a tua lista de afazeres? E quais os teus planos para as próximas semanas?

Share

2 thoughts on “Desafio de organização pessoal: Um resumo

  1. Este mês também destralhei um bocado bom. Fiz uma revisao aos roupeiros e às prateleiras do mais velho (se bem que naquele quarto muito ha a fazer).
    Lista de afazeres, tenho uma escala de tarefas por dia da semana e está a correr lindamente.

    1. Que bom, Raquel!
      Parabéns pela decisão de implementar uma escala de tarefas: faz-nos bem encontrar métodos que realmente funcionam, pois é algo que logo muda o nosso estado de espírito e a forma como encaramos cada desafio do dia a dia.
      Ah, e destralhar… Faz(-me) tão bem à alma!
      Obrigada pela partilha.
      Beijinhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *